26 de abril de 2022

Made in Alagoas: Casa de Brígida é espaço sensorial de moda e experiências culturais do Nordeste em São Paulo

Ana Brígida

Quando se deparou com aquela construção na Rua Dona Brígida, na Vila Mariana, Em São Paulo, uma sensação indescritível invadiu o seu peito, despertando as melhores memórias afetivas da infância. Mal sabia ela (será?), mas Ana Brígida estava prestes a (re)construir uma bela – e nova – história naquele cenário.

Há cerca de dois anos, a alagoana teve um insight em meio à pandemia: levar, para aquela “casinha” tão simpática, um pedaço do Nordeste para São Paulo. Desde então, a Casa de Brígida – o nome não poderia ser diferente, claro – ganhou vida e virou um point de moda que oferece produtos e experiências culturais que abrangem toda a memória da região, com música, gastronomia, cultura, fé e social.

“A Casa de Brígida nasceu do encontro com o meu passado. Ela me lembra o bairro que cresci, Bebedouro. A rua é bem arborizada e charmosa, o que reforça essa memória”, entrega a artista.

Com emoção, ela também lembra de como a sua história evoca inspirações: “Minha avó Benedita, costureira que criou seus 12 filhos sozinha, me trouxe muitos ensinamentos. Sou filha de mãe solteira e criada por minha vó, que sempre repetia que meu nome era o meu bem maior e que eu o honrasse com a palavra dada, pois ela valia mais que papel. Até hoje penso nisso”.

A Casa de Brigida prima por designers e artesãos que carreguem o DNA nordestino. “A Casa é sensorial, abraça quem vem do Nordeste, quem é de lá e mora aqui e quem está com saudade. Exalta a moda através das rendas, dos estilistas, das marcas e do design exclusivo”, revela Ana.

De fato, os fios de cada peça da loja parecem vestir a alma e o corpo das pessoas que se permitem ter suas vidas transformadas pelo abraço do sol e um “xêro” no cangote da moda nordestina.

Tamanha identidade chamou a atenção de ninguém menos que o designer mato-grossense Sérgio Mattos: ele convidou Ana para uma collab que refletiu o mood da mulher sertaneja em trabalhos manuais. O resultado foi um desfile na Casa de Brigida, na 10ª Semana de Design Weekend em São Paulo. A inspiração nas poltronas “Acaú”, “Ererê” e na cadeira “Cobra Coral” foram a base criativa para os looks da Casa.

A coleção foi apresentada por designers e artesãos do Nordeste, com ênfase no bordado Filé, no tie-dye, nos bordados em 3D e no macramê, com peças desfiladas por modelos negras, homenageando Zumbi dos Palmares.

Quem também traz muita inspiração para a Casa é a estilista alagoana Vera Arruda, de quem Ana guarda muita gratidão, pois seu legado inestimável para a moda foi de muita cor, bordados e ousadia. “Também sou muito grata a Flavius Lessa, que sempre falava que a moda tinha me escolhido e que eu não soltasse a mão dela; agradeço a Frida Kahlo e a Coco Chanel, que revolucionaram o modo de vestir e mostraram que o simples – quando bem-feito – é chique”, finaliza Brigida.

A Casa de Brígida ainda dispõe de um quintal que inspira pocket shows e roteiros gastronômicos com chefs do Nordeste, além de uma cozinha característica, de onde sai um delicioso cuscuz dengoso.

Parte da beleza de São Paulo está na sua diversidade – e ainda bem que a capital paulista foi presenteada com esse cantinho. Vale muito a pena conferir e vivenciar essa experiência “arretada”!

Serviço:
Casa de Brigida: Rua Dona Brigida, 177, Vila Mariana, São Paulo – SP

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *