8 de janeiro de 2024

Janeiro Branco: 4 dicas para proteger a saúde mental e fazer um uso consciente das redes sociais

Gabriela Tenório, psicóloga

Você já sentiu uma baita ansiedade depois de um longo tempo no celular? Algum conteúdo já te fez se sentir mal? Ou já sofreu ataques de comentários maldosos? Essas podem parecer cenas rotineiras para quem faz muito uso das redes sociais, no entanto, é preciso ficar alerta sobre quando esses comportamentos podem afetar nosso bem-estar.

Por outro lado, o mundo digital é peça central no nosso dia a dia, ficando difícil fugir dessa realidade. A psicóloga Gabriela Tenório destaca: “As redes sociais influenciam a moda, criam novos estilos e estão modificando as novas gerações; trazendo conexões e evolução, mas também o ônus de uma sociedade adoecida pela hiperconexão.”

Neste Janeiro Branco, mês dedicado aos cuidados com a saúde mental e suas diversas nuances, o Refresh se une à campanha junto com Gabriela para discutir sobre os cuidados necessários para nos proteger quando estiver online – e offline também.

Se proteger desse universo pode não parecer uma tarefa fácil, mas a psicóloga compartilha algumas dicas para fazer um uso consciente dessas ferramentas. Vem conferir!

1. Limite seu tempo conectado

“Equilibrar o uso de redes sociais com a manutenção da saúde mental é essencial para o uso consciente de telas”, alerta a psicóloga. Segundo ela, se você não trabalha diretamente com redes sociais, o tempo máximo recomendado é de 20 minutos por turno. Isso ajuda a evitar a hiperconexão.

2. Faça pausas

Gabriela explica que celulares e computadores são estímulos rápidos de vínculo com o mundo em poucos segundos. Isso provoca a liberação de dopamina no cérebro, um neurotransmissor que dá sensação de prazer e satisfação, por isso é tão difícil controlar o uso. No entanto, importante lembrar que precisamos cumprir nossos compromissos e também cuidar de nós mesmos. Faça pausas para respirar, relaxar e desconectar.

3. Tenha vida offline

De acordo com a psicóloga, a superexposição pode estimular a comparação e, consequentemente, baixa autoestima por causa dos likes e comentários tóxicos nas redes. “Para se proteger, é preciso compreender que temos vida real e que as plataformas são apenas mais uma forma de se comunicar”, conta. As interações reais com pessoas são fundamentais para nossa saúde mental. Fica a dica: não se esqueça de cultivar relacionamentos fora do mundo virtual.

4. Evite usar as redes sociais antes de dormir

Ela alerta que a pressa em consumir informações dispara a ansiedade excessiva e pode gerar episódios depressivos. Antes de dormir isso é ainda mais preocupante, pois o uso de telas e excesso de informação pode acelerar os pensamentos e dificultar o sono. Reservar um tempo offline antes de deitar é essencial para um descanso de mais qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *