27 de abril de 2023

Após extensa reforma de 4 anos, Tiffany na Quinta Avenida reabre como a maior loja do universo do luxo no mundo

Marca permanece fiel às suas origens, sem deixar de ser relevante culturalmente e aberta a todas as gerações

A icônica loja da Tiffany na Quinta Avenida reabriu oficialmente nesta quarta-feira (26) após uma extensa reforma iniciada em 2019.

Com o objetivo de proporcionar uma experiência cultural única e completa aos clientes, a transformação é total – exceto pela lendária fachada do filme “Bonequinha de Luxo“, que foi preservada. Internamente, a arte está presente em todas as formas, incluindo pinturas, esculturas, vídeos, NFTs e instalações – vale dizer que alguns espaços icônicos da flagship levam a assinatura do artista brasileiro Vik Muniz.

No térreo, telas laterais exibem imagens de Nova York, e um “espelho mágico” permite observar os artistas da marca trabalhando em sua oficina. Além disso, o Diamante Tiffany, um raro diamante amarelo com 128,54 quilates, ganhou uma nova apresentação em um colar envolto por pássaros, marca registrada de Jean Schlumberger, um dos maiores designers da Tiffany.

Integradas nos 10 andares do Landmark, como a loja foi rebatizada, estão cerca de 40 obras, incluindo peças de artistas renomados como Jean-Michel Basquiat, Damien Hirst, Julian Schnabel e Daniel Arsham, bem como NFTs de Urs Fischer e Tom Sachs. O vestido preto de Audrey Hepburn do filme “Breakfast at Tiffany’s” e fotos da atriz também estão em exibição no 5º andar.

O coração da loja é uma escada em espiral com balaustradas transparentes adornadas com cristal de rocha, inspiradas nos designs de Elsa Peretti. A escada conecta os andares 3 a 8, enquanto os elevadores permitem acesso a todos os andares. O piso de parquet de madeira em todo o edifício ecoa o design original de 1940. Museus dedicados e espaços de exibição nos andares 8 e 9 oferecerão uma rotação de eventos para os visitantes.

Um dos desafios da loja foi criar uma atmosfera acolhedora e intimista em um espaço tão grande. Por isso, foram criados muitos espaços privados, como salas de consulta, salões e um clube privado no 10º andar com vista espetacular do Central Park.

Para completar a experiência, a Tiffany contratou o chef francês Daniel Boulud para liderar o Blue Box Café no 6º andar. O restaurante oferece um menu “Breakfast at Tiffany” durante todo o dia e acomoda 61 pessoas em um ambiente com teto cravejado de caixas azuis da Tiffany.

A reforma da loja de Nova York representa o maior investimento já feito no mundo do luxo em uma operação com essas características. Responsável por cerca de 10% de suas vendas antes das obras, a unidade espera receber milhões de visitantes de todo o mundo anualmente com a reforma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *