21 de dezembro de 2023

Vinhos para a ceia: dicas para harmonizar pratos clássicos do Natal

Ah, o Natal… Época de luzes cintilantes, risadas e, é claro, uma ceia repleta de delícias que aquecem o coração. No Brasil, cada família prepara receitas variadas, que vão desde o tradicional peru até frutos do mar, massas e sobremesas. E que tal incluir bons vinhos para brindar e saborear com os clássicos que a gente ama? Para tornar esse momento ainda mais especial, convidamos a sommelière Duda Figueiredo, da Woman’s Wine e Entre Vinhos, para compartilhar preciosas dicas de harmonização para as iguarias de fim de ano.

1. Peru, Tender, Pernil: clássicos com o Rosé

Para esses clássicos, Duda sugere uma harmonização leve e elegante com vinhos rosés. “Tanto o tender quanto o pernil, quanto o peru são carnes que não são tão suculentas. Elas não são secas, como um peito de frango, mas também não são tão suculentas quanto uma picanha”, explica. A acidez dos rosés ajuda a realçar os sabores, enquanto a estrutura equilibrada enfrenta a riqueza desses pratos. Se a celebração pede um toque especial, um espumante rosé nacional, como o Pedruti, é a escolha perfeita para brindar.

2. Salpicão: match entre a cremosidade e acidez com espumante

Para o irresistível salpicão, a sommelière recomenda um espumante. A cremosidade da maionese encontra a combinação perfeita na acidez borbulhante do espumante, proporcionando uma experiência incrivelmente prazerosa.

3. Panetone: o desafio do doce e suas variações

“Harmonizar o Panetone é um pouquinho mais complicado, porque ele tem diversas variações”, explica. No caso do Chocotone, que está em alta, ela recomenda os vinhos do Porto Tawny, especialmente os de 20 anos. Seja com chocolate ou frutas, a maturidade do Porto complementa os sabores, criando uma harmonia sublime. Segundo Duda, quanto mais antigo o vinho do Porto, mais ele remete a frutas secas, que é justamente o que se pronuncia no sabor do Panetone.

4. Bacalhau: versatilidade com brancos e tintos leves

Sobre o bacalhau, a escolha do vinho dependerá bastante do modo como ele é preparado. Se for um bacalhau assado simplesmente no forno com azeite, um vinho branco à base de Chardonnay ou mesmo um vinho da região do Dão, em Portugal, elaborado com a uva branca chamada Encruzado, harmoniza perfeitamente. “Se o bacalhau for preparado de maneira cremosa, aí, dependendo da estrutura que ele apresentar, podemos até considerar um vinho tinto também da região do Dão, em Portugal, ou ainda um tinto da região do Douro. Os tintos portugueses mais leves combinam bem com o bacalhau”, recomenda.

5. Massa: atenção à variedade de molhos

Para a massa, a escolha do vinho dependerá do molho. Se o molho for branco, vamos seguir com as opções de vinho branco ou rosé. Se a massa for com o molho vermelho, nada melhor do que um vinho tinto italiano. “Afinal de contas, a uva sangiovese, que é típica da região da Toscana, tem uma acidez exatamente pensada pra harmonizar com a acidez do molho de tomate”, explica.

6. Sobremesas

Quando chega a hora das sobremesas, Duda sugere estratégias. Ela ensina que a regra básica é que a sobremesa nunca deve ser mais doce do que o vinho. Uma dica da sommelière, por exemplo, é, ao invés de passar a rabanada no açúcar, adicionar flor de sal, facilitando assim a harmonização. A flor de sal diminui essa doçura, o que facilita a combinação. “Eu usaria, nesse caso, uma rabanada quente, morninha, passada na flor de sal e harmonizaria com um vinho do Porto branco estupidamente gelado”, recomenda. Chamada de “técnica do Petit Gâteau”, a variação da temperatura na boca proporciona um prazer incrível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *